segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

FACEBOOK...


A maior rede social do Mundo já provocou cerca de 28 milhões de divórcios, segundo um estudo realizado por advogados britânicos.
O Facebook está a ser responsabilizado pelo aumento do número de divórcios na Grã-Bretanha devido a conversas 'paralelas' que os utilizadores têm com os seus contactos.

O fenómeno já está, inclusive, a ser estudado por especialista que pretendem investigar o efeito das redes sociais na vida das pessoas, nomeadamente o Facebook.

Segundo um estudo realizado por um grupo de advogados britânicos, «mais de 20 por cento dos pedidos de divórcio, o que equivale a 28 milhões, fazem referência à rede social».

«A razão mais apontada é a proliferação de conversas inadequados, de teor sexual, com pessoas com quem os utilizadores não as deveriam ter», disse Mark Keenan, director-geral do Divórcio-Online.


SOL

5 comentários:

Fresco_e_Fofo disse...

As relações já são tão débeis que algum dia começam a divorciar-se porque o parceiro cumprimentou o vizinho.
A morte tem sempre uma desculpa...

dinona disse...

Por acaso eu tinha facebook, mas fui-me apercebendo que a maioria das pessoas que lá anda gosta muito de ter as tais conversas paralelas...
E sinceramente, cada vez as pessoas se afastam mais do mundo real para aderir ao virtual que um dia destes já nem saímos de casa.

ariel disse...

tb vi a notícia...fiquei de boca aberta! mas tem alguma lógica...

Tuquinha disse...

Tb li a noticia mas pelo lado que me toca não me afecta pois sou anti redes sociais...apenas e só o meu blog...isti está tudo danado...hehe
Cumprimentos

Uma Rapariga Simples disse...

Já conhecia e não concordo com isto, a necessidade de traição está no ser humano, não no meio que se usa.
Antigamente, traía-se por carta e não foi por isso que se declarou morte aos Correios.
Eu tenho FB e uso-o para estar perto dos amigos que estão longe, família, ex-alunos, seguir teatros, jornais, museus,... não tenho conversas dessas porque limitei a minha privacidade lá e raramente aceito alguém que não conheço.
Tudo depende da postura de cada um.