sexta-feira, 3 de junho de 2011

E.Coli

O que é a E. coli?

É uma bactéria comum que vive nos intestinos dos animais e dos humanos. A maioria das estirpes é inofensiva, mas algumas produzem toxinas que causam dores abdominais agudas e diarreia. É o caso da estirpe detectada na Alemanha - 0104:H4, que é rara.



Como se propaga?



As estirpes surgem quando a bactéria chega aos alimentos destinados a consumo humano. A carne bovina é normalmente a principal fonte de infecção, sobretudo a que é consumida pouco cozinhada, tal como os ovos. A bactéria pode estar também presente nas tetas das vacas e chegar ao leite que não seja pasteurizado.



Portadores da bactéria podem igualmente ser os vegetais crus cultivados ou lavados com água contaminada, ou que tenham estado em contacto com fezes de animais infectados.



Uma pobre higiene das mãos, sobretudo após ida à casa-de-banho, pode também levar à contaminação.



Quais os sintomas?



Começam normalmente sete dias depois da infecção. As cólicas abdominais são o primeiro sinal. Poucas horas depois, começa a diarreia com sangue, que dura entre dois a cinco dias. Pode ainda haver febre baixa (nem sempre), náuseas e vómitos.



Que complicações pode causar?



Na maioria dos casos, o quadro clínico é simples, apenas de diarreia sanguinolenta sem sequelas. Na estirpe agora detectada, tem-se desenvolvido, porém, um Síndrome Hemolítico Urémico - um quadro mais grave que leva à deterioração renal crónica que pode ser fatal, sobretudo nos idosos e nos mais novos.



Como proteger-nos?



É importante cozinhar bem a carne, a temperaturas superiores a 70ºC. No caso dos vegetais, há que lavá-los correctamente, principalmente se forem consumidas cruas, com um produto adequado.



Na preparação das refeições, é importante manter a carne crua separada dos outros alimentos, lavar com água quente e sabão as superfícies utilizadas e nunca servir a carne no mesmo prato onde esteve antes de ser cozinhada.

(http://sicnoticias.sapo.pt/vida/2011/06/02/o-que-e-a-e.coli )

1 comentário:

O dono da moca disse...

Pois é, em relação à crise grega e à nossa, os alemães queriam "lavar as mãos", como Pilatos. Era melhor que as lavassem quando vão ao WC. lolol